Principais doenças

Pólipos uterino
Crescimento aumentado de células da cavidade uterina, formando bolinhas no interior da cavidade uterina. A histeroscopia é o método mais indicado para retirada de pólipos.

Cistos ovarianos
São bolsas repletas de líquido, ou conteúdo misto, que se formam no ovário. Existem diversos tipos de cistos ovarianos (cisto funcional, cisto dermóide, endometriomas, cistoadenomas). São duas opções de tratamentos: medicamentoso e cirúrgico.

Ovários policísticos
É a expressão de anovulação crônica, importante ressaltar que ovário policístico é um sinal, não uma doença.  Portanto, seja por fatores
internos ou externos, a mulher não esta ovulando, permanente ou temporariamente.  Motivo de muita apreensão entre as mulheres, pois muitas vezes é um achado isolado ao ultrassom vaginal.

Quando associado a outros distúrbios como:  hiperandrogenismo, hirsutismo (pelos masculinizastes), distúrbios com insulina, caracteriza a Síndrome dos Ovários Policísticos.

O tratamento varia, sendo extremamente indicado o acompanhamento com ginecologista e algumas vezes com outros especialistas.

Miomas uterinos
São nódulos não cancerosos do útero que na maioria das vezes surgem a idade fértil da mulher. Atinge 50% das mulheres entre 30 e 50 anos. São classificados, de acordo com sua localização em miomas submucoso, intramural e subseroso. A tratamento pode ver via laparoscopia e histeroscopia.

Endometriose
Doença ginecológica associada a dor pélvica e infertilidade. Caracterizada pela presença de tecido endometrial (interior da cavidade uterina) fora da cavidade. Existem diversos graus de endometriose, no qual os mais severos comprometem até mesmo o intestino. O tratamento pode ser medicamentoso (hormonal), mas principalmente cirúrgico.

Adenomiose
É um espessamento da parede do útero. Tornando mais propenso à menorragias (sangramento exagerado) e cólicas fortes, sendo causa para histerectomias nos casos em que o tratamento medicamentoso não foi suficiente.